Jornalista russo utilizou sangue de porco para fingir a própria morte

Publicado em 01/06/2018 - 11:48 | Por Redação

Ucrânia usou encenação para acusar Rússia de tentar assassinar o opositor Arkadi Babchenko, mas agora enfrenta críticas da comunidade internacional

Sangue de porco, disparos em uma camiseta e até ida ao necrotério fizeram parte do plano para simular a morte do jornalista russo Arkadi Babchenko na Ucrânia. Na quarta-feira (30), o jornalista apareceu em uma conferência de imprensa para revelar que simulou sua própria morte para evitar um suposto assassinato por parte da Rússia.

Para encenar a morte do jornalista, agentes secretos ucranianos usaram sangue de porco para parecer que era o dele, fizeram disparos em sua camiseta e até mesmo o levaram ao necrotério.

A moralidade da atitude foi criticada por organizações internacionais, enquanto o presidente ucraniano, Petro Poroshenkoqualificou de “brilhante” a operação dos serviços secretos do seu país. “Ontem, pela televisão, vimos o resultado de uma brilhante operação executada por heróis do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU)”, disse Poroshenko em mensagem transmitida pela TV local.

Na terça-feira (29), a agência estatal ucraniana de notícias, Ukrinform, noticiou que Babchenko havia sido baleado nas costas e morrera na ambulância. A agência ainda citou um amigo do jornalista como testemunha e informou que sua esposa o encontrara caído em seu apartamento.

Na encenação, o primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman, acusou a Rússia de ter perpetrado a morte, enquanto o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, criticava a Ucrânia por não ser um local seguro para jornalistas.

O jornalista crítico do Kremlin, que deixou a Rússia há um ano e meio depois de ser ameaçado de morte, admitiu que cooperou no último mês com a inteligência ucraniana após ser advertido sobre um suposto complô para o seu assassinato, que devia acontecer pouco antes da final dos Liga dos Campeões, no último dia 26.

(Com Estadão Conteúdo e EFE)

fonte:Veja.com

Veja também

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.