Gonzaga denuncia suposto esquema de superfaturamento de licitações no governo

Publicado em 11/04/2018 - 15:46 | Por Redação

 
 

O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) denunciou na manhã desta quarta-feira (11), um suposto esquema de superfaturamento de licitações no governo do Acre. De acordo com ele, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf) realizou uma licitação para aquisição de 10 notebooks que saíram pelo valor de R$ 3,6 mil a unidade, enquanto o mesmo equipamento estaria a venda no mercado pelo valor de R$ 2,4 mil. Gonzaga afirma ainda que o órgão público adquiriu equipamentos superfaturado já que estariam fora de linha de fabricação.

“O computador foi comprado superfaturado pelo Idaf e saiu de linha. O modelo de compra do governo está em xeque. Estamos vendo licitações superfaturadas e são muitas. É por isso que os recurso destinados pelo governado federal não dá para suprir as necessidades do Estado. Enquanto as pessoas estão morrendo à míngua nos hospitais, parte dos recursos estão sendo desviados. Em Cruzeiro do Sul fizeram uma compra de 15 mil rolos de fita, 719 km, dá para atravessar o estado de uma ponta a outra. Será que essas fitas serão entregues?”, questiona.

Luiz Gonzaga ressalta que no Hospital do Juruá estariam faltando medicamentos, mas o “governo prefere comprar certos objetos de forma demasiada. O MP deve acompanhar as licitações e compras que estão sendo feitas pelo governo, porque existe suspeitas e alguns fatos comprovados como é o caso da compra de computadores, enquanto escolas funcionam precariamente, enquanto faltam remédios em hospitais e equipamentos para segurança, a gente só ver licitação superfaturada. O governo tem que gastar bem os recursos”, acrescenta Gonzaga.

O líder do PT na Casa, o deputado Lourival Marques contestou a denúncia de Luiz Gonzaga. O petista destaca que o oposicionista aproveita a presença da imprensa para tentar passar informações erradas. “Esse processo de licitação foi uma carona que o Idaf pegou através de pregão eletrônico do Ministério Público do Acre, após autorização da diretoria de tecnologia de informação que regulamenta. O valor que o deputado falou aqui também está equivocado, na verdade cada computador saiu pelo valor de R$ 2,6 mil”, rebate Marques.

Veja também

Comentários

Deixe uma resposta