Macron torna cargo de primeira-dama oficial e é alvo de críticas

Publicado em 07/08/2017 - 17:18 | Por Redação

Presidente francês defendeu o fim do nepotismo durante a campanha e agora enfrenta acusações de hipocrisia

O presidente da FrançaEmmanuel Macron, foi criticado por tornar oficial o cargo de primeira-dama. De acordo com a Constituição francesa, o cônjuge do governante não goza de papel oficial, embora tenha direito a um escritório e conselheiros. Com a regularização do cargo, a esposa de Macron, Brigitte, passa a ter também acesso a fundos públicos.

Apesar de durante sua campanha Macron ter declarado que tornaria oficial o status de primeira-dama, o político garantiu na época que, independente do papel que sua esposa assumisse, ela não seria paga com verba pública. Além disso, como o fim do nepotismo foi também uma de suas promessas, agora enfrenta acusações de hipocrisia. Uma petição com cerca de 200 mil assinaturas foi lançada contra a decisão.

Brigitte Macron atualmente tem uma equipe de dois ou três assessores, bem como dois secretários e dois agentes de segurança. Isso é o suficiente. Não há nenhuma razão para que a esposa do chefe de Estado obtenha um orçamento dos fundos públicos”, diz a petição em Change.org lançada por Thierry Paul Valette, que se apresenta como artista, pintor, autor e cidadão engajado.

fonte:Veja.com

Veja também

Comentários