Colônia de Pescadores realiza cadastro do seguro defeso em Cruzeiro do Sul

Publicado em 14/11/2017 - 11:41 | Por Redação

A Colônia de Pescadores deu início ao cadastramento dos pescadores aptos a receberem o seguro defeso. O atendimento este ano será realizado em loco nas comunidades ribeirinhas, sendo avaliado posteriormente pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A primeira comunidade atendida foi o bairro Miritizal. De acordo com o presidente da colônia, Elenildo Souza, todas as informações e documentos necessários são lançados no sistema do INSS, que realiza a avaliação.

“Esse é o primeiro ano que o trabalho acontece dessa forma. A gente manda para o INSS, temos acesso direto ao sistema e enviamos para eles que falam se é ou não aprovado. Esse atendimento nas comunidades é uma forma de facilitar a vida do povo, e não precisarem passar o dia inteiro em uma fila”, falou o presidente da colônia.

O INSS tem o prazo de 15 dias para analisar a documentação. A Colônia montou um calendário de atendimento nas comunidades ribeirinhas, para realizar o atendimento em loco, somente após o dia 20 que o atendimento acontece no prédio da colônia.

O período de proibição de algumas espécies inicia no dia 15 de novembro e se estende até 15 de março. Os pescadores que forem flagrados pescando peixes proibidos perdem todo material de pesca, além do seguro defeso. Entre as espécies proibidas para pesca e venda estão o pacú, matrinchã, jaraqui, aruanã, pirapitinga, filhote, dourado e caparari.

fonte:Juruáonline

Veja também

Comentários