Carona de Marlúcia Cândida em helicóptero do Estado é denunciada ao Ministério Público Estadual

Publicado em 10/11/2017 - 14:25 | Por Redação

 

A viagem da primeira-dama Marlúcia Cândida à Vila Céu do Mapiá, em Boca do Acre (AM), no helicóptero do Estado, o Hárpia 1, foi denunciada ao procurador-geral de Justiça do Ministério Público Estadual, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, nesta sexta-feira, 10, pelos vereadores Roberto Duarte (PMDB) e Lene Petecão (PSD) e o porta-voz da Rede Sustentabilidade, Carlos Gomes. Na mesma denúncia consta a “carona” na aeronave dada por Marlúcia à líder daimista Rita Gregório, a Madrinha Rita, da Colônia Cinco Mil.

“A primeira-dama não é servidora pública do Estado do Acre e, ainda que fosse não estava a serviço do Governo, aproveitou o vôo para pegar uma “carona” sem nenhuma prévia autorização legal, pelo menos que se tenha conhecimento.”

Os denunciantes citam que o “governador do Estado do Acre, o senhor Sebastião Viana, pode ter cometido improbidade administrativa que causa prejuízo ao erário ao permitir que uma pessoa física usufruísse de bem público em proveito próprio ou para finalidades sem relação com causas humanitárias, é de conhecimento público que não ocorreu nenhuma catástrofe ou algo similar para justificar tal viagem, bem como sem as devidas formalidades legais”.

Após o relato por escrito, os vereadores e o porta-voz da Rede pedem uma investigação minuciosa para detectar possíveis irregularidades, além de um possível ressarcimento aos cofres do Estado. “Caso constatadas aguardamos as sanções devidas e o ressarcimento aos cofres públicos do dinheiro gasto com a viagem, incluindo a manutenção da aeronave, bem como diárias que possam ter sido pagas.”

A viagem de Marlúcia na aeronave que, pelo menos em tese, deve ser usada em operações da Segurança Pública e resgate de pessoas em regiões de difícil acesso, foi amplamente divulgada por sites locais na semana passada.

Por causa da repercussão negativa do fato, a secretária de Comunicação, Andréa Zílio, usou sua página no Facebook para questionar a veiculação da informação nos jornais eletrônicos.

“Qual o problema dela ter acompanhado? Qual o problema de uma ação dessa levando uma líder espiritual do Daime? É estranho já que as outras ações não foram questionadas, e sim, ações com pessoas simples, antes que digam que só foi feito por se tratar de uma líder espiritual”, disse Andréa.

fonte:ac24horas

Veja também

Comentários